lacerta-monticola-2.jpg

Situado no setor sudeste da serra da Estrela, o concelho da Covilhã abrange uma área de 550 quilómetros quadrados, onde reside uma população de 51 770 habitantes.

No passado, a Covilhã foi um importante centro de produção de lanifícios, consequência da abundância de matéria-prima, a lã, e da disponibilidade de energia hidráulica. Sendo a indústria dos lanifícios um dos emblemas da cidade, a visita ao conjunto de fornalhas e poços da antiga tinturaria da Real Fábrica de Panos da Covilhã, classificado Imóvel de Interesse Público, hoje integrados no Museu dos Lanifícios da Universidade da Beira Interior, é obrigatória.

1  Museu dos Lanifícios 2  Covilhã

 Museu dos Lanifícios

 Covilhã

A nível de património construído merecem também referência: a igreja da Misericórdia, o pelourinho, as muralhas da cidade, a cisterna medieval, a igreja da Nossa Senhora da Conceição, a capela de Santa Cruz, o troço da calçada romana junto à estação de caminho de ferro, a capela de São Martinho e a Casa dos Ministros, monumentos classificados como Imóveis de Interesse Público (IIP).

Aconselha-se, ainda, a visita à capela do Santo Cristo (IIP), no Teixoso, e ao templo romano da Senhora das Cabeças (IIP), em Orjais.

Em Unhais da Serra existe uma estância termal de águas sulfúreas, bicarbonatadas, sódicas, sulfidratadas radioativas, que brotam à temperatura de 31ºC, indicadas para o tratamento de reumatismo, afeções das vias respiratórias e dermatoses.

A nível paisagístico e de património natural, existem no concelho da Covilhã vários pontos de interesse: o covão do Boi, onde se pode observar um conjunto interessante de blocos pedunculados e colunares, a cascalheira do Alto da Pedrice, o vale glaciário da Alforfa e os panoramas que se alcançam a partir dos Piornos e da Varanda dos Carqueijais.

A Covilhã partilha com Seia e Manteigas o local mais emblemático e visitado da serra, a Torre, onde se situa o ponto mais elevado de Portugal continental a 1993 metros de altitude.

Categoria: O que visitar